Setor de beleza ainda não tem data para reabrir.

Empresária diz que falta incentivo do governo.

Há 24 anos comandando um salão de beleza, a empresária Wendy de Souza nunca passou por uma crise como a que vive agora, causada pela pandemia do novo coronavírus.

O salão de beleza, que tinha acabado de passar por uma reforma, faz parte de um setor que ainda não tem data para reabrir.

Fechado desde 19 de março, o negócio tem despesa fixa de R$ 20 mil.

Ela só conseguiu renegociar o aluguel em 50%. Empresária luta para manter salão de beleza Reprodução TV Globo Wendy só conseguiu se segurar até agora porque tinha uma boa gestão financeira.

Ela sempre guardou dinheiro.

Quando a pandemia começou, ela tinha uma pequena reserva de R$ 20 mil.

Só que agora o dinheiro acabou. A empresária vive o drama de milhões de empreendedores do país.

Quem tinha alguma reserva, usou.

Quem não tinha, desistiu ou se endividou, e não tem como pagar.

Um terço das pequenas empresas tem dívidas e empréstimos atrasados. Segundo Wendy, falta ajuda do governo: “É um descaso, parece que o setor da beleza não existe.

A gente tem milhões de CNPJs, a gente gera muito emprego e a gente está a deriva”. Agora, Wendy está usando a criatividade: lançou um sorteio de vouchers, onde o cliente compra R$ 150 em serviços futuros e, se sorteado, terá direito a R$ 800 em serviços, quando o salão reabrir.

A estratégia rendeu mais R$ 7 mil.

Mas, eles já acabaram. “Sei que já cortou tudo o que poderia, mas tem que buscar os incentivos do governo, o Pronampe, por exemplo.

O empresário tem que ir atrás desse recurso, que talvez dê um fôlego para ele até dezembro”, orienta consultor Haroldo Matsumot. “Acho que num momento de crise, de muita dificuldade, ou você se entrega e vai ficar ali se vitimizando ou você tem que fazer a coisa acontecer.

Eu olho pro futuro ainda com dificuldade e vai ser uma retomada muito morosa, mas eu acredito.

Eu nunca fiquei parada”, afirma Wendy. Veja a reportagem completa: Pequenos empresários tentam seguir em frente e falam sobre o futuro pós-pandemia