Hospital recebe inscrições para reabilitação gratuita de pacientes neurológicos
29/07/2019 11:45 em Saúde

Uma unidade de saúde que reúne equipe multidisciplinar formada por médicos, terapeutas, enfermeiros e terapeutas ocupacionais, oferecendo de forma gratuita tratamentos para pacientes com sequelas neurológicas retomarem sua independência funcional em casa e no trabalho. Este é o Centro Integrado de Recuperação Neurológica, recém construído e inaugurado pelo Hospital Angelina Caron (HAC), que está com vagas abertas para atendimento anual de até 400 pacientes em idade produtiva e com doenças neurológicas. A inscrição para o programa de recuperação pode ser feita pelos telefones (41) 3513-3950 e 3513-3989, com atendimento das 7h às 17h.

O Centro é um projeto concebido e implantado pelo HAC, que fica em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. Foi construído com recursos captados por meio do Pronas (Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência) de 2017, via investimento por renúncia fiscal das empresas Ecovia, Fertipar e Rumo.

Ambiente doméstico simulado

Inaugurado no final de maio, o Centro de Recuperação Neurológica tem 17 profissionais especializados em neurologia clínica, fisiatria, ortopedia, fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, enfermagem e assistência social.

A estrutura física para receber e tratar os pacientes inclui um ambiente doméstico que imita a cozinha e o banheiro de uma residência, com direito a mobiliário com fogão, geladeira, chuveiro, pia e vaso sanitário. Os pacientes aprendem a reconhecer e a prevenir os riscos de acidentes domésticos, que respondem por boa parte das lesões incapacitantes.

“Para que a reabilitação seja a melhor possível, o ideal é que o tratamento comece o quanto antes, logo após a lesão. O paciente neurológico e seus familiares precisam se dedicar com afinco nas primeiras semanas, e seguir todas as orientações da equipe médica e fisioterápica”, orienta o médico neurologista Eduardo Hummelgen.

 

Atendimento integrado

O atendimento integrado é o foco do tratamento no centro, segundo destaca a fisioterapeuta Jaquiceli Cordeiro. “Na reabilitação neurológica, buscamos unir de forma multidisciplinar a fisioterapia e a terapia ocupacional. O objetivo é tornar o paciente o mais independente possível na parte funcional, dentro de casa e no trabalho. Para isso, realizamos exercícios como subir e descer rampas e escadas, entre outros”, pontua.

Já a terapeuta ocupacional Alessandra Rzepkowski enfatiza que o formato do programa otimiza o tempo de reabilitação. “Em um período curto de tempo, a gente foca na função do movimento, naquilo que o paciente não consegue fazer no dia a dia. Então não tem aquele ‘estica e puxa’ mais simplificado. Fazemos com que ele reaprenda a se vestir, a tomar banho e assim por diante, tudo no ambiente simulado do centro”, diz.

 

Critérios de seleção

O programa de reabilitação é dedicado a pacientes com sequelas motoras causadas por doenças neurológicas como AVC (acidente vascular cerebral), traumatismo crânio encefálico, paralisia cerebral, miopatias e esclerose múltipla.

Podem se inscrever gratuitamente pessoas com menos de 65 anos, que tenham controle de funções fisiológicas preservadas (intestino e bexiga), e que estejam num período de menos de seis meses da lesão neurológica – exceto crianças. Pacientes com feridas abertas infectadas não poderão ingressar no programa.

O tratamento é feito em dois atendimentos semanais, em ciclos de aproximadamente seis semanas, que incluem atendimento médico, fisioterapia, psicoterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia em regime ambulatorial.

 

“Quero voltar à rotina normal”

Um dos pacientes em tratamento no centro é o frentista Pedro Neto Batista de Moraes, que sofreu lesão grave na cabeça após sofrer uma queda em casa. “Eu estava no banho, saindo para trabalhar, quando cai e bati a cabeça no chão. Não lembro de mais nada. Fiquei alguns dias internado, perdi a fala e os movimentos, que estão voltando agora com o tratamento. Por enquanto, não consigo trabalhar. Quero voltar à minha rotina normal”, relata, com dificuldade de fala.

“Meu pai chegou ao centro de cadeira de rodas, no primeiro dia de tratamento. Hoje ele já está andando, com ajuda. Daqui a um ano, quero ver ele independente, fazendo as coisas que mais gosta, e andando sozinho”, deseja Vaneza Carolina da Silva, filha de José Manuel, paciente em recuperação neurológica após sofrer um AVC e parada cardíaca.

 

SERVIÇO

O Centro Integrado de Recuperação Neurológica do Hospital Angelina Caron funciona diariamente, das 7h às 19h. A inscrição para o programa de recuperação pode ser feita pelos telefones (41) 3513-3950 e 3513-3989, com atendimento das 7h às 17h.

 

Sobre o Hospital Angelina Caron

O Hospital Angelina Caron está localizado na cidade de Campina Grande do Sul, na Grande Curitiba (PR). De caráter eminentemente social e filantrópico, a instituição é um centro médico-hospitalar de referência no Sul do Brasil e um dos maiores parceiros do Sistema Único de Saúde (SUS) no Paraná. Realiza, anualmente, 2,07 milhões de procedimentos em pacientes de todo o país, sendo 93% pelo SUS. Atua em todas as vertentes da medicina e é um centro tradicional de fomento ao ensino e à pesquisa. O Serviço de Transplantes de Órgãos é um dos mais destacados, reconhecido internacionalmente, com cerca de 300 procedimentos por ano nas áreas hepática, renal, reno-pancreática, cardíaca e de tecidos corneanos.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE